Os mitos mais comuns sobre sexo

Autor:  
Assunto: Perguntas & Respostas

Mito: A vagina se alarga quando a mulher tem muitas relações sexuais.

Verdade: Quando a mulher está excitada, os músculos de sua vagina relaxam, inicia-se o processo de lubrificação natural e o canal empurra o colo do útero para cima para que haja mais espaço para a penetração. Ou seja, o organismo feminino se adapta para que a penetração seja confortável para a mulher. Quando o processo acaba, tudo volta ao normal.

Mito: Usar duas camisinhas é mais seguro.
Verdade: Quando se usa duas camisinhas, há, naturalmente, uma fricção entre elas, que “raspam” constantemente uma na outra, fazendo com que a probabilidade de rasgarem seja muito maior.

Mito: Homens pensam em sexo a cada sete segundos.
Verdade:
Segundo o Instituto Kinsey, 54% dos homens pensa em sexo todos os dias, mas pensar em sexo a cada sete segundos indicaria que homens têm pensamentos sexuais mais de 60 mil vezes por dia, ou seja, um número absurdo.

Mito: Homens são mais promíscuos que mulheres.
Verdade: A verdade é que as mulheres podem ser tão ou mais promíscuas que os homens, todavia não são honestas quanto a isso. Muitas mulheres têm vergonha em responder com sinceridade às pesquisas sobre sexualidade por conta de fatores culturais, o que faz parecer com que homens são mais promíscuos.

Mito: Mulheres preferem homens com pênis grandes.
Verdade: A palavra “grande” é extremamente relativa. Mulheres são mais facilmente excitadas por pênis grossos, mas pênis longos podem causar desconforto na hora da transa. Leia mais a respeito desse assunto aqui.

Mito: Impotência só atinge homens mais velhos.
Verdade: Disfunções eréteis podem atingir homens de qualquer idade, visto que boa parte dos casos de impotência não é causada por fatores físicos, mas por fatores emocionais e psicológicos.

Mito: Só é possível engravidar quando o homem ejacula dentro da vagina da mulher.
Verdade: Se o homem ejacular em qualquer região perto da vagina (como coxas e até mesmo ânus), há o risco de gravidez, pois o sêmen pode “escorrer” e fecundar os óvulos. Além disso, o líquido responsável pela lubrificação natural do homem que é emitido antes e durante a penetração também contém espermatozóides e também pode provocar uma gravidez.